Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

2666

A literatura é um ofício perigoso.

 

«Ninguém melhor do que Roberto Bolaño para descrever o hilariante e improvável triunfo de Roberto Bolaño. O que é uma pena porque ele está morto. No momento da sua morte, em 2003, Bolaño era um dos grandes escritores de língua espanhola, mas virtualmente desconhecido e ainda não traduzido para inglês. Não é difícil de perceber que assim tenha sido. Bolaño era um escritor difícil, zangado e auto-reflexivo que levava uma vida errática e ocasionalmente infeliz.»

 

Mais sobre Roberto Bolaño, 2666 e como este seu livro póstumo se tornou no melhor livro de 2008, na Time, para ler aqui.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
«Um livro contra o esquecimento que, nas suas qualidades e nas suas imperfeições, é uma profissão de fé no poder da literatura.» Bruno Vieira Amaral