Quarta-feira, 9 de Setembro de 2009

Após o seu desaparecimento, manuscritos, cadernos, diários e dezenas de originais que parecem procriar em geraçao espontânea vêm aparecendo e sendo editados. Alguns recém-descobertos e a serem editados em breve são «El Tercer Reich», «Diorama» e «Los sinsabores del verdadero policía» o Asesinos de Sonora.O mais caudaloso deles é 2666 lançado em espanhol em 2004 e traduzido para o inglês em 2008, quando foi eleito um dos principais livros do ano por vários veículos e listas, ganhando no começo de 2009 o National Book Critics Circle Award, além de outros prêmios, como o Herralde, o da Fundación Lara, o Salambó, o Ciudad de Barcelona, o Santiago de Chile ou o Altazor.

O romance de mais de mil páginas, dividido em cinco partes que o autor gostaria de ter visto editadas separadamente, gira em torno dos assassinatos não esclarecidos e com requintes de crueldade de centenas de mulheres numa cidade fictícia que emula a mexicana Ciudad Juárez, no México, hoje uma das mais violentas do mundo por conta da força do narcotráfico lá estabelecido.

 

Do texto de Bruno Dorigatti «Roberto Bolaño, cada vez mais próximo do cânone» no Portal Literal, onde se linca para este blogue.  

 



por 2666 às 11:51
link do post | comentar

Arquivo

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

tags

todas as tags

«Um livro contra o esquecimento que, nas suas qualidades e nas suas imperfeições, é uma profissão de fé no poder da literatura.» Bruno Vieira Amaral
Subscrever por RSS