Quarta-feira, 2 de Setembro de 2009

Primeiro que tudo, 2666, de Bolaño. Segundo, 2666, de Bolaño. Terceiro,...

Quem o diz, é o Senhor Palomar, directamente da sua casa nova.



por 2666 às 01:06
link do post | comentar

Arquivo

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

tags

todas as tags

«Um livro contra o esquecimento que, nas suas qualidades e nas suas imperfeições, é uma profissão de fé no poder da literatura.» Bruno Vieira Amaral
Subscrever por RSS